gallery/logo

ARMAZÉM SÃO FRANCISCO

Av. Dep. Waldemar L. Ferraz, 404

CEP 15490-000 Centro  Olímpia/SP

Telefone (17) 3279-8663

Celular/Whats: (17) 99632-4487

gallery/designerjorge
gallery/mylink
http://www.mylink.com.br

Nosso Sistema Digestivo - A Boca!

Bioidentidade entre as enzimas dos alimentos e as das glândulas salivares

 

Para que possamos consumir alimentos funcionais, precisamos cuidar da bioidentidade. A bioidentidade é a qualidade de uma molécula de ser pura e integral, da forma como existe na Natureza. Quando ingerimos um alimento ou medicamento bioidêntico, estamos consumindo enizimas vão se "casar" as existentes em nossas glândulas salivares e que o organismo vai conseguir compreender, assimilar e metabolizar mais facilmente, sem efeitos colaterais.

Ao contrário, quando uma substância não é bioidêntica,ou quando cozinhamos os alimentos, matando as enzimas ou, ainda, quando é sintetizada no laboratório, e passa a ser diferente de qualquer outra existente na Natureza, começamos a ter problemas. É isto que acontece com os medicamentos alopáticos e os alimentos industrializados, modificados e processados e que justifica a alimentação crua e natural.

No vídeo acima o Dr. Marco Menelau nos relata melhor sobre a questão que será primordial no entendimento de como funciona a digestão.

 

A Boca como principal órgão do nosso aparelho digestivo

 

Quando pensamos na digestão nos vem à mente a ideia de transformação de um alimento em nutriente que será absorvido pelo sistema digestivo. Pois essa ideia é correta e essa transformação se dá pela DEGRADAÇÃO DO ALIMENTO NA BOCA e não no estômago como muitos pensam e veremos no tópico próprio que a função do estômago é (ou deveria ser) bem diversa da de degradar (triturar, desmanchar) os alimentos.

 

É na boca, através de mastigação, que o alimento é degradado e também através da mastigação que as glândulas salivares são pressionadas e liberam as enzimas que se "casam" com as enzimas dos alimentos.

 

Essa deveria ser a principal fase da alimentação, deturpada pelos diversos produtos colocados no mercado a título de alimentos e que não requerem a mastigação... sem ela, todo o explicado no vídeo não ocorre, fazendo com que mais de 80% do que ingerimos seja excretado, ainda que sendo uma alimentação saudável. Todo nutriente que vai chegar ao intestino delgado tem que ter os sais, glicoses, aminoácidos e as enzimas salivares "casadas" com as dos alimentos para que possa ser absorvido pelo nosso organismo de forma a termos uma alimentação saudável.

 

Como já dito em outro artigo, não temos a intenção de pregar qualquer forma de vegetarianismo, mas a mastigação é incapaz de DEGRADAR A PROTEÍNA OU OUTROS ELEMENTOS DA CARNE, atribuindo (veremos isso com mais detalhes no tópico próprio) ao ÁCIDO CLORÍDRICO NO ESTÔMAGO, cuja finalidade primária era bem outra e que traz prejuízos metabólicos e respiratórios que podem ser fatais para a vida.

 

Nosso corpo é regido por leis precisas criadas juntamente com nosso corpo, e protetivas dele, assim como tudo na criação (falaremos sobre criacionismo/evolucionismo). Do mais simples átomo de hidrogênio ao maior astro do universo há leis protetivas de tudo que foi CRIADO. A obediência à essas leis permitem uma vida plena, mas o preço da desobediência é a morte, literalmente falando.

 

Nossa boca, através da mastigação, além de degradar os alimentos, promovem a compressão (pressiona) das GLÂNDULAS SALIVARES.

Existem três tipos de glândulas salivares:

  • Glândulas parótidas: estão localizadas adiante e abaixo das orelhas, entre o músculo masseter e a cútis.
  • Glândulas submandibulares: localizadas no soalho da boca, sob a raiz da língua.
  • Glândulas sublinguais: localizada na região anterior ás glândulas submandibulares.

As glândulas salivares produzem um fluido lubrificante encontrado na boca e na garganta, a saliva. A saliva contém enzimas que iniciam o processo de digestão dos alimentos, como por exemplo a amilase salivar.

 

Também é na boca que temos o sensor mais inteligente do Sistema Digestivo, que é a língua. Nela, quando um alimento é colocado na boca é detectado se o produto É NATURAL (UMA FRUTA FRESCA, POR EXEMPLO), ou se não pertence à NOSSA CADEIA ALIMENTAR ORIGINAL (POR EXEMPLO, PRODUTOS INDUSTRIALIZADOS, COZIDOS, A CARNE, etc.).

 

Assim, toda nossa digestão tem seu primeiro passo na boca, onde o tipo de alimento (deve ser natural, vegetal e saudável) é detectado pela língua, degradado pela mastigação (importante que toda mastigação exceda 20 movimentos, dependendo do alimento) e misturada ás primeiras enzimas digestivas, que são expelidas pelas glândulas salivares (FIGURA 1)

 

Após este primeiro processo, o alimento já degradado pela mastigação e misturado às enzimas salivares, desce pela FARINGE, PELO ESÔFAGO, chegando ao estômago. É nesta fase que a detecção do tipo de alimento (pela língua) ingerido vai ter suas consequências, provocando uma boa ou má alimentação.

Digite o texto aqui

ARMAZÉM SÃO FRANCISCO

Av. Dep. Waldemar L. Ferraz, 404

CEP 15490-000 Centro  Olímpia/SP

Telefone (17) 3279-8663

Celular/Whats: (17) 99632-4487

ARMAZÉM SÃO FRANCISCO

Av. Dep. Waldemar L. Ferraz, 404

CEP 15490-000 Centro  Olímpia/SP

Telefone (17) 3279-8663

Celular/Whats: (17) 99632-4487

gallery/sistema digestivo boca

Talvez você esteja se perguntando o porquê destas explicações, porém, se você tiver o cuidado de ler todo o site entenderá que não existem doenças, e cada etapa do site vai te conduzir ao entendimento de que não temos TEMPO DE VIDA, mas TEMPO DE PRODUÇÃO DE ENERGIA, e até até mesmo o que chamamos velhice, dentro dos conceitos abordados poderia se chamar doença, se assim denominarmos o câncer, por exemplo.

 

Não abandone a leitura do site. Adicione-o aos seus favoritos.